Como a saúde financeira afeta a saúde emocional

Como a saúde financeira afeta a saúde emocional?

Parece bobagem, mas a falta de dinheiro não apenas pode te deixar de cabeça quente, mas também pode abalar a sua saúde. Para entender como isso acontece, continue lendo e veja como a saúde financeira afeta a saúde emocional. Boa leitura!

Primeiro é importante saber o que é a saúde emocional. De forma resumida uma pessoa com a saúde emocional equilibrada é aquela que consegue lidar com os problemas do dia a dia sem que isso afete sua produtividade.

Ou seja, são pessoas que têm boa autoestima, sabem controlar as emoções e equilibram uma vida de trabalho, lazer, interações sociais e autocuidado.

Durante o dia cada pessoa passa por inúmeras situações, as quais, algumas vezes, são positivas, mas, outras vezes, não. Saber gerenciar as emoções diante dessas oscilações é o que indica uma boa saúde emocional.

Mas atenção! Isso não quer dizer que a pessoa não se sinta para baixo de vez em quando. Ao lidar com as frustrações e problemas do dia a dia, é natural que o indivíduo se sinta desmotivado, irritado, angustiado e impaciente.

A questão é quando isso o impede de pensar claramente e agir de acordo com seu próprio discernimento. Nesse caso, é preciso dar uma atenção especial à saúde mental.

O que ajuda a cultivar o bem-estar emocional é sempre buscar comportamentos e pensamentos positivos, mesmo quando uma situação parece difícil de ser resolvida.

Além disso, é bom investir em hobbies e cuidar da autoestima. Afinal, saber administrar angústias, estresse e pensamentos negativos é uma das chaves para uma vida em equilíbrio.

Como a saúde financeira afeta a saúde emocional na prática?

Como a saúde financeira afeta a saúde emocional na prática

Organizar as finanças deve fazer parte do planejamento familiar. Infelizmente, porém, poucos dão a devida importância a esse tema. Gastos sem planejamento, contas bancárias sempre com saldos negativos, dívidas com valores impossíveis de serem quitados e compras sem necessidade, por exemplo, são problemas causados pela falta de controle das finanças.

Com tudo isso acontecendo, a saúde emocional pode ser impactada, causando ansiedade além do normal, estresse ou, mesmo, quadros mais graves, como depressão e pressão alta. Então, para se evitar chegar a esse ponto, o ideal é que, todos os meses, os seus gastos sejam planejados.

Algo que pode te ajudar bastante é organizar uma planilha ou, até uma simples lista antes mesmo de receber o pagamento, indicando exatamente para onde cada centavo do seu dinheiro vai.

Por exemplo, coloque as contas fixas, que são aquelas que não variam de um mês para o outro, como aluguel, prestação do carro e mensalidade escolar. Então, adicione gastos variáveis, como energia elétrica, água e lazer.

Se você tiver dívidas, o ideal é negociar o quanto antes, buscando uma proposta, ainda que parcelada, que caiba no seu bolso. Mesmo pagando a dívida aos poucos, esse já não será um problema. Pois como o acordo foi feito, em um prazo determinado, tudo estará quitado.

Procure reservar um valor para diversão. Afinal, ninguém merece trabalhar apenas para pagar contas!

A realização de pequenos prazeres nos ajuda a aproveitar a rotina e manter a saúde emocional em dia.

Outra dica é fazer, mensalmente, uma reserva financeira, pois imprevistos acontecem, e, se você tiver uma poupança, não precisará recorrer a empréstimos, com juros muito altos.

E falando em saúde financeira, você pode cuidar da sua saúde e da sua família com o Cartão iSaúde. Com ele você ganha descontos em consultas e exames. Entre em contato e saiba mais!

34